BlogBlogs.Com.Br

quarta-feira, 9 de janeiro de 2008

Problemas da profissão

Gostaria apenas de deixar aqui alguns esclarecimentos:
Temos recebido currículos de diversas pessoas pedindo um emprego, mas nós não somos uma EMPRESA, somos apenas um grupo que se reuniu e está tentando uma oportunidade nesse mundo cruel com os profissionais de Letras que não querem somente serem professores e tentam outras funções que (teoricamente) podemos exercer.

Por que cruel?
Vocês lêem jornais? Se lêem e tem um mínimo de conhecimento de português podem perceber que desgraças que fazem com a língua. Não criticamos os textos em si, mas a questão da falta de clareza, de ambiguidade, de problemas de pontuação, etc.

Outro problema que enfrentamos são pessoas que não aceitam pagar de jeito nenhum a miséria que cobramos, o que acaba nos obrigando a "dar" nosso trabalho, tendo o esforço mental e visual e não sendo reconhecido por tal.

Mas o maior de todos é a ausência de reconhecimento. Tente preencher um cadastro em algum lugar, quando perguntarem sua profissão e essa for REVISOR DE TEXTOS, pode notar que perguntarão o que é isso, ou no que se encaixa!

Eu que vos escrevo, em nome do grupo, já passei por isso com um banco de grande nome.

Ah sim, outro problema bem grande, pessoas formadas em Comunicação pode muito bem adentrar nessa área, mesmo que saibamos dos grandes problemas textuais dos textos jornalísticos, MAS um profissional de Letras nunca poderá nem trabalhar como redator assistente, ou um simples revisor...
Ou seja, quem quiser cursar Letras, fique preparado para o esteriótipo de professor que você ganhará.

Quem se forma em Jornalismo é JORNALISTA, e quem se forma em Letras, é o quê???

10 comentários:

Cat girl disse...

Tento responder, mas ainda não cheguei a um denominador comum.

Sérgio Ricardo disse...

Um ótimo trabalho vcs estão realizando. Depois que eu lí que o Noam Chomsk "conseguiu" associar a lingua com a matemática, não duvido mais da relação entre todos os campos do conhecimento e que eles são todos igualmente importantes para o crescimento do potencial humano.

Abraços.

Grazielle disse...

Literato
[Do lat. litteratu.]
S. m. 2. Homem versado em literatura ou em letras; letrado.

Assim disse meu professor de filologia

Profº Anderson disse...

Até onde sei quem se forma em letras é linguista. Estuda a língua!

Marcia Moreira disse...

Oi.
É um prazer conhecer o blogue de vocês.
No último ano da faculdade, em 2000, decidi ser revisora de texto. Descobri que o caminho não seria fácil, deveria, primeiro, ser uma "fera" na gramática e na redação. Então, resolvi dar aula para aprimorar o ensino do português. Graças a Deus, consegui dar aulas na rede pública e até em minha casa, onde consegui mais experiência profissional. Em 2008, fiz um curso de revisor de textos na CBL e, dois meses depois, fui contratada por uma empresa em São Paulo.
Hoje, continuo na área, na mesma empresa e faço pós-gradução em linquística e literatura. Digo que é árduo transformar textos no original em belas obras-primas. Às vezes, acredito que sou uma artista.
Também passo pelos mesmos problemas na hora de fazer um cadastro (sempre seleciono "educação") mas, fazer o quê.
Pensei que não conseguiria, mas, graças a Deus, realizei o meu sonho profissional.

Também tenho um blogue sobre revisão de textos e língua portuguesa. Vocês são os meus convidados: www.blogmarciaportugues.blogspot.com - Conciso e Coeso.

Aline Holanda disse...

Acho que não é Letreiro, mas muita gente me chama assim...é verdade que com o curso de Letras somos taxados apenas de professores. Apenas recentemente, ha no máximo dois anos, tive conhecimento da profissão de revisor e me interessei muito, desejo atuar na área, mas nem sei por onde começar. Será que vocês podem me dar alguma dica sobre em que tipo de empresas devo procurar emprego ou estágio? Estou gostando muito desse blog e já estou seguindo!!! Abraços

Jussara Cristina disse...

Alguém saberia me dizer qual lei regulamenta a profissão de Revisor de Texto?

Roberto disse...

Concordo em gênero, número e grau com os problemas imanentes à profissão de revisor. Há anos sou revisor de uma editora de livros didáticos (imaginem a diversidade e a vastidão do que chega a minha mão) e, apesar da formação em Direito, abandonei essa área para trabalhar com a minha verdadeira paixão. Tem coisa melhor do que trabalhar com o que a gente verdadeiramente ama?
Vale ressaltar que, apesar do nome "revisor de texto", frequentemente nossa função vai além da mera revisão textual.
Um franco abraço e muuuuuuita sorte aos colegas revisores!

Prof. Felipe Vilela Marcolino disse...

Caros colegas de profissão... Verifiquei nos comentários acima a ampla e sempre contínua dúvida sobre a nomenclatura dada aos profissionais das letras e das literaturas. Posso dizer que também vivenciei está dúvida durante o período de estudos da minha graduação e digo, que preferi me ausentar de opiniões seja por julgar desnecessário ou até pela inexperiência da nossa língua materna ou então por julgar da insignificância do Latim, ressalto, essa era minha visão nos primeiros semestre da graduação.
Hoje caros, tenho total orgulho em assumir que sou um Literato e não apenas um licenciado em Letras. Aprendi que nossas origens Linguísticas do Latim é tão rica e árdua como se pensam em meros debates.
Quem se forma em Direito é Advogado; àquele que se forma em Medicina é Médico, então caros, vamos nos assumir, libertar de paradigmas de que aquele que faz licenciatura é professor, de certo modo concordo, somos professores, mas o professor que fez Biologia é Biólogo, que fez Matemática é Matemático, que fez História é Historiador.
Assumamos então, que somos Literato.
Boa tarde!
Profº Felipe Vilela

Fatima Beghetto disse...

Concordo parcialmente com o que foi exposto, pois, como contratante de serviços de revisão de texto, não tenho encontrado profissionais com a qualidade que preciso. Mesmo este texto sobre "Problemas da profissão", redigido por um dos organizadores do blog, está recheado de erros gramaticais (concordância verbal, nominal, grafia, uso de vírgula etc.) e até mesmo problemas de coerência textual. E o valor, para quem paga, não é pouco não, e fica mais caro ainda quando é necessário ainda fazer revisão da revisão. Eu preciso de um revisor competente, que conheça a norma culta, que se comprometa com o resultado do trabalho, aceite feedback e queira crescer profissionalmente em uma editora. Aceito receber currículos no email: fatimag@onda.com.br.